Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!
Notícias / BIZARRO

Agentes alfandegários descobrem coração humano na bagagem de mulher

Mulher tentava entrar na Austrália com coração humano na bagagem

Redação Contigo! Digital
por Redação Contigo! Digital

Publicado em 18/06/2024, às 22h57 - Atualizado às 23h15

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Coração era dela mesma - Foto: Reprodução
Coração era dela mesma - Foto: Reprodução

Agentes alfandegários de um aeroporto da Austrália foram surpreendidos por algo incomum na bagagem de uma passageira. Jessica Manning, de 30 anos, levava um coração humano dentro de um saco plástico enquanto tentava desembarcar no país. 

Em entrevista ao NZ Herald, a mulher relata que foi impedida de entrar no país por conta do coração. Ela teve que responder a uma série de questionamentos e comprovar a origem do órgão, uma medida para afastar problemas de saúde pública ou até descartar hipótese criminal.

"Fiquei lá por cerca de uma hora tentando entrar com esse maldito coração na Austrália. Mas eu o tenho agora e está seguro no meu guarda-roupa", comemorou ela, que relatou sua justificativa à publicação. 

Leia também:Participante do De Férias com o Ex avisa após barraco com Solange Gomes: ‘Esqueço que estou sendo gravado'

Jessica nasceu com problemas cardíacos, o que a fez passar por uma série de cirurgias em busca de melhor qualidade de vida. O coração que ela carregava na bagagem era dela mesma. Após relato e uma checagem, rapidamente foi compreendido por agentes queela foi submetida a um transplante duplo de coração e fígado. 

"Quando eu tinha 19 anos, tive uma insuficiência cardíaca. E então, quando eu tinha 22 anos, fui diagnosticada com doença hepática. A doença hepática foi causada por um procedimento que fiz quando tinha 3 anos", explica.

"Em dezembro de 2016, fui avaliada para transplante de coração e fígado, mas como esse tipo de procedimento não tinha sido feito na Nova Zelândia ou na Austrália em alguém que nascera com problemas cardíacos, demorou muito para decidirem se era algo que estavam dispostos a fazer por causa do risco. Acabei sendo colocada na lista de transplantes em abril de 2017 e esperei 16 meses pelo meu transplante", completa ainda.