Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!
Notícias / SEM PRESTAR SOCORRO

Mulher que hostilizou casal gay em padaria atropela pedestre e é presa

Vítima foi encaminhada a um hospital em Santana. Em fevereiro, mulher hostilizou casal gay em padaria na Santa Cecília em SP

Paulo Henrique Lima
por Paulo Henrique Lima

Publicado em 19/06/2024, às 17h16 - Atualizado às 18h04

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Jaqueline Santos Ludovico hostilizou casal gay em padaria na Santa Cecília - Foto: Reprodução/Globo
Jaqueline Santos Ludovico hostilizou casal gay em padaria na Santa Cecília - Foto: Reprodução/Globo

A mulher que hostilizou um casal gay em uma padaria na Santa Cecília, no Centro de São Paulo, em fevereiro deste ano, foi presa em flagrante nesta quarta-feira, 19. Jaqueline Santos Ludovico atropelou um homem na última sexta, 14, na Barra Funda, Zona Oeste da capital, e fugiu do local sem prestar socorro à vítima. 

Jaqueline estava em alta velocidade e com sinais evidentes de embriaguez quando atingiu a vítima que passava pela faixa de pedestre. O homem foi levado ao Hospital São Camilo de Santana, onde recebeu atendimento médico e passou por exames para descartar maiores consequências.

Não há atualizações sobre seu estado de saúde. Segundo informações obtidas pelo g1, a motorista retornou ao local do acidente e foi presa em flagrante. Ela agora responde por fuga do local do acidente, embriaguez ao volante e lesão corporal culposa na direção de veículo automotor.

Leia também:Mulher finge pedir pizza e chama Guarda Municipal para prender agressor: 'Muito recheio'

A mulher foi encaminhada ao 91º DP (Ceasa) para prestar depoimento. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SPP), ela apresentou falas desconexas. Apesar do peso das acusações, ela teve sua prisão preventiva convertida para prisão domiciliar.

Jaqueline ainda não se pronunciou oficialmente sobre o atropelamento. Imagens de câmeras de segurança registraram toda a ação e devem ser incluídas na investigação policial. Não foi divulgado se a mulher foi submetida ao teste de etilômetro para verificar a concentração de álcool na corrente sanguínea.