Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / GENTE!

Qual a fortuna de Sandy? Cantora já acumulou patrimônio maior do que o do pai, Xororó

Qual a fortuna de Sandy? Saiba quanto ela já faturou ao longo dos mais de 30 anos de carreira

Gustavo Assumpção
por Gustavo Assumpção
[email protected]

Publicado em 28/09/2023, às 12h50

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Qual a fortuna de Sandy? Cantora já acumulou patrimônio maior do que o do pai, Xororó - Divulgação
Qual a fortuna de Sandy? Cantora já acumulou patrimônio maior do que o do pai, Xororó - Divulgação

Agora solteira, a cantora Sandy é uma das mais bem sucedidas da história da música brasileira. Com uma carreira de quase 30 anos, a artista acumula uma fortuna que vai muito além de seus ganhos na música.

Isso porque ela é estrela de várias campanhas publicitárias, já fez filmes e novelas e também tem muito dinheiro investido. A artista ainda é sócia de uma rede de restaurantes, tem um time de futebol e atua no ramo da indústria. Segundo informações do People With Money, a cantora tem um patrimônio de R$ 145 milhões.

Vale lembrar que em 2019, a turnê Nossa História foi a segunda mais rentável de todo o mundo. Na época, ela faturou ao lado do irmão cerca de R$ 120 milhões – a média por show foi de R$ 6 milhões. Ao todo, foram vendidos mais de 567 mil ingressos nos 18 shows: 16 no Brasil, um nos Estados Unidos, e outro em Portugal.

XORORÓ CUIDOU DA FORTUNA

Recentemente, a artista contou como o pai, Xororó, cuidava de sua fortuna quando era criança. “Meu pai já tinha a carreira dele, já tinha o lugar dele, o dinheiro dele e não precisava do nosso dinheiro. E tudo que a gente ganhou ao longo da vida sempre foi nosso. Ele já cuidava, administrava da melhor maneira para que a gente pudesse usufruir daquilo no futuro. Inclusive, ele não gastava nosso dinheiro com nada, tipo nada nem para nós mesmos", revelou a cantora.

Ela ainda destacou que, apesar de ganhar bem, não precisava gastar um real, já que continuava sendo sustentada pelo pai. "Ele ainda sustentava a gente. Ele pagava tudo, ele pagava viagens e só quando a gente já era adolescente, que a gente já tinha feito um pezinho de meia e a gente começou a contribuir um pouco em viagens, por exemplo, comprar uma passagem internacional e teve uma casa, quando eu já estava com vinte anos, a gente construiu uma casa onde uma parte dela foi paga por mim e pelo meu irmão".